PRODUÇÃO DE CIANOBACTÉRIA EM REATOR ALTERNATIVO DE POLITEREFTALATO DE ETILENO (PET) EM QUATRO CORES DIFERENTES

Jessica Mazetto Araújo, Regina de Oliveira Moraes Arruda

Resumo


Neste trabalho será realizada a produção da cianobactéria em reatores alternativos, tipo garrafa de Politereftalato de etileno (PET) em quatro cores diferentes, para verificar se á influencia da cor no crescimento. O experimento foi feito em duplicata para (oito garrafas com quatro cores diferentes de garrafa PET) no decorrer de 22 dias, teve influencia igual da luz sobre todas as garrafas, agitação na mesma velocidade e mesmo aquecimento dentro da estufa, com mesma quantidade de meio de cultura e inoculo para todas as garrafas.  A Arthrospyra (Spirulina) sp teve diferente nível de crescimento em cada cor diferente de garrafa de Politereftalato de etileno (PET).  A coloração dos reatores afeta o crescimento e o desenvolvimento da Arthrospyra (Spirulina). Entre as quatro colorações de reatores estudadas a de cor vermelha é a mais eficiente na produção de Arthrospyra (Spirulina). A cor vermelha atingiu um pico maior de crescimento e seu tempo de vida se mostrou maior, portanto a cor vermelha mostrou exercer influencia sobre o cerscimento da Arthrospyra (Spirulina) sp, podendo assim vir a ser utilizada na produção em alta escala.

Palavras-chave


Arthrospyra (Spirulina) sp; Fermentação; Bioprocesso.

Texto completo:

PDF

Referências


AMBROSI MA, REINEHR CO, BERTOLIN TE, COSTA JAV, COLLA LM. Propriedades de saúde de Spirulina spp. Journal of Basic and Applied Pharmaceutical Sciences, v. 29, n. 2, 2008. Disponível em: http://www.fcfar. unesp.br/revista_pdfs/vol29n2/trab1.pdf. Acesso em:14 mar 2014.

ARRUDA ROM, BRITO AW, SILVA RR, MORAES IO. Fermentação de Spirulina platensis sob condições Naturais de Temperatura e Insolação. Revista Saúde-UnG. v.3, n.3, p.16-9. 2009. Disponível em: www.revistas.ung.br/index.php/saude/article/download/124/549. Acesso em: 25 mar 2014.

BERTOLDI FC, SANTANNA E, OLIVEIRA JLB Revisão: Biotecnologia de microalgas. Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, v. 26, n. 1, p. 9-20, 2008. Disponível em: http://ojs.c3 sl.ufpr.br/ojs-2.2.4/index.php/alimentos/article/view/11804/0. Acesso em 22 jul 2020.

BERTOLIN TBP, COSTA JAV, COLLA LM, BERTOLIN TE, HEMKEMEIER M. Cultivo da Cianobactéria Spirulina platensis a Partir de Efluente Sintético de Suíno. Ciênci agrotec. v. 29, n. 1, p. 118-25. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cargo/v29n1/a15.pdf. Acesso em 14 mar 2015.

BOROWITZKA M. Commercial productiono of microalgae: ponds, tanks, tubes and fermenters. J. Biotechnol;.v.70.p.313-21. 1999

BRASIL, Ministério da Saúde, Anvisa Legislação -Portaria nº 19, de 15 de março de 1995. DOU

DE 16/03/95 Anexo "I" Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/legis/portarias/19_95. htm . Acesso em: 25 mar 2014.

FRANCO ALC, LÔBO IP, CRUZ RS, TEIXEIRA CMLL, NETO JAA, MENEZES RS. Biodiesel de Microalgas: Avanços e Desafios. Quim nova. v.36, n. 3, p. 437-48. 2013. Disponível em: www.scielo.br/pdf/qn/v36n3/a15v36n3.pdf. Acesso em: 25 mar 2014.

HENRIKSON R. Microalga Spirulina, Superalimento del future.Ediciones S.A. Urano, Barcelona, Spain, 1994.

MEZZOMO N, SAGGIORATO AG, SIEBERT R, TATSCH PO, LAGO MC, HEMKEMEIER M, et al. Cultivation of microalgae Spirulina platensis (Arthrospira platensis) from biological treatment of swine wastewater. Food Science and Technology, v. 30, n. 1, p. 173-178, 2010. Disponivél em: http://www.scielo.br/pdf/cta/v30n1a26.pdf. Acesso em 22 jul 2020.

MOREIRA RL, COSTA JM, QUEIROZ RV, MOURA PS, FARIAS WRL. Utilização de Spirulina platensis como suplemento alimentar durante a reversão sexual de tilápia do Nilo. Revista Caatinga, v. 23, n. 2, p. 134-141, 2010.. Disponível em: http://www.periodicos.ufersa.edu.br/Índex.php/sistema. Acesso em 22 jul 2020.

MULITERNO A, MOSELE PC, COSTA JAV, HEMKEMEIER M, BERTOLIN TE, COLLA LM. Cultivo mixotrófico da microalga Spirulina platensis em batelada alimentada. Ciência e Agrotecnologia, v. 29, n. 6, p. 1132-1138, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php. Acesso em 22 jul 2020.

OLIVEIRA, Graziele Cristina de. Photosynthetic, anatomical and productive behaviors of Melissa officinalis L. grounded under colored nets. 2014. 44 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente, 2014. Disponível em: http://bdtd.unoeste.br:8080/jspui/handle/tede/594 . Acesso em 22 jul 2020.

PAIXÃO, Anna Carla de Castro. Efeito da luz transmitida através de coberturas coloridas transparentes sobre a mancha-alvo do tomateiro. Manaus: [s.n.], 2014. 64 f.. Dissertação (Agricultura no Trópico Úmido (ATU)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Disponível em: https://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/5229. Acesso em 22 jul 2020.

RAVEN PH, EVERT RF, EICHHOM SE. Biologia Vegetal. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

RICHMOND, A. Handbook of microalgal culture: Biotechnology and Applied phycology. Ed.21º editor John Wiley and Sons, 2004. ISBN: 0632059532,9780632059539.

SOUZA GS, CASTRO EM, SOARES AM, SANTOS AR, ALVES E. Teores de pigmentos fotossintéticos, taxa de fotossíntese e estrutura de cloroplastos de plantas jovens de Mikania laevigata Schultz Bip. ex Baker cultivadas sob malhas coloridas. Semina: Ciências Agrárias, v. 32, n. supl 1, p. 1843-1854, 2011.. Disponível em: http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/view/1453. Acesso em 22 jul 2020.

QUEIROGA RCF, NETO FB, NEGREIRO MZ, OLIVEIRA AP, AZEVEDO CMSB. Produção de alface em função de cultivares e tipos de tela de sombreamento nas condições de Mossoró. Horticultura Brasileira, v. 19, n. 3, p. 324-328, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/hb/v19n3/v19n3a06. Acesso em 22 jul 2020.

OLIVEIRA JR et al, Cultivos agrícolas utilizando telas coloridas e termorefletoras. Jornada Científica, V. 1, p. 5, 2008. Disponível em: https://www.bambui.ifmg.edu.br/jornada_cientifica/str/artigos_aprovados/Ci%c3%aancias%20Agrarias/34-PT-6.pdf. Acesso em 22 jul 2020.

HENRIQUE PC, ALVES JD, DEUNEL S, GOULART PFP, LIVRAMENTO DE. Aspectos fisiológicos do desenvolvimento de mudas de café cultivadas sob telas de diferentes colorações. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 5, p. 458-465, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pab/v46n5/02.pdf. Acesso em 22 jul 2020.

SANTOS GM, MACEDO RVT, ALEGRE RM Influência do teor de nitrogênio no cultivo de Spirulina maxima em duas temperaturas-Parte I: Alteração da composição da biomassa. Food Science and Technology, v. 23, p. 17-21, 2003.. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php. Acesso em 22 jul 2020.

SASSANO CEN, CARVALHO JCM, CONVERTIL A, GIOIELLI LA, SATO S, TORRE P,ET AL. , LUIZ AG, SUNÃO S. Estudo bioenergético do cultivo de Spirulina platensis utilizando uréia como fonte de nitrogênio. Resultados preliminares. Farmácia e Qumica, v. 35, n. 2, p. 37-43, 2002.

SATO UALS. Proteínas de origem microbiana. In: Aquarone E, Borzani W, Schmidell W, Lima UA. Biotecnologia Industrial. v.4, n.3. São Paulo: Blucher, 2009. p.457-60.

SILVA SMCS, MURA JDAP, AYOUB ME. Terapia Nutricional na Lipodistrofia Ginóide. In: Alimentação, Nutrição e Dietoterapia. 1. ed. São Paulo: Roca, 2007. p.650-1.

VONSHAK.A. Spirulina Platensis, Physiology, Cell-Biology and Biotechnology, Taylore Francis, London, Uk;1997.p.43-66.




DOI: http://dx.doi.org/10.33947/2595-6264-v4n1-4455

Apontamentos

  • Não há apontamentos.