Modelo de Evolução Geológica da Região do Atual Municipio de Atibaia (SP) durante o Cenozóico.

Mario Lincoln ETCHEBEHERE, Antonio Roberto SAAD, Carlos Alberto BISTRICHI, Maria Judite GARCIA, Marte Ferreira da SILVA, Elza de Fátima BEDANI

Resumo


Este trabalho objetiva delinear um modelo de evolução
geológica da região do município de Atibaia (SP) durante o Cenozóico,
baseado no registro geológico, na conformação geomorfológica e nos
dados paleontológicos disponíveis. A região estudada é constituída por um
substrato rochoso pré-Cambriano, onde se destacam gnaisses, migmatitos,
granulitos, rochas metassedimentares e metaígneas, enfeixadas no
chamado Complexo Amparo, granitóides diversificados do Domínio
Socorro, e, como destaque, o Granito Atibaia. Este embasamento é
recoberto, de modo localizado, por unidades sedimentares cenozóicas,
que abarcam aluviões recentes, terraços fluviais, mantos coluvionares e
remanescentes de depósitos neogênicos e paleogênicos, estes portadores
de expressivo registro fossilífero. O relevo da região é amorreado, com
serras entremeadas, que podem alcançar altitudes superiores a 1.400 m;
as áreas de agradação restringem-se à planície aluvial do rio Atibaia e do
baixo curso de seus principais afluentes. As estruturas do embasamento
cristalino, em especial as faixas de cisalhamento de alto grau de mergulho,
aparentam controlar a disposição dos depósitos sedimentares cenozóicos
e apresentar movimentações relativas mais jovens, configurando um
quadro de tectônica ressurgente. O modelo aqui proposto compreende 4
estágios principais: (1) Aptiano-Albiano delgado capeamento de rochas
sedimentares e ígneas da Bacia do Paraná, área em processo de alçamento,
regime tectônico distencional; (2) Cretáceo superior Alçamento e erosão
dos remanescentes da Bacia do Paraná, denudação e estabelecimento da
Superfície Sul-americana (ápice no Eopaleógeno); (3) Paleógeno estágio
distensivo, com dissecação da Superfície Sul-americana e formação de
pequenas bacias tafrogênicas (e.g., Tanque); e (4) Mioceno Recente
regime tectônico compressivo (atuação da Cordilheira Andina), pequenos
depósitos miocênicos e atividade neotectônica.

Texto completo:

PDF


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet