LYELL, A AGÊNCIA GEOLÓGICA HUMANA E O ANTROPOCENO: EM BUSCA DE UMA EPISTEMOLOGIA GEOLÓGICA E ARQUEOLÓGICA.

Alex Ubiratan Goossens Peloggia, Any Marise Ortega

Resumo


A análise da primeira e da décima edições inglesas dos Principles of Geology, de Charles Lyell mostra que este, conquanto realmente seja prudente na consideração da extensão e significado globais da ação humana frente à processualidade geológica global e ao tempo geológico, não só admite o estatuto de agente geológico à Humanidade, como faz pioneiramente a descrição do que hoje denominamos processos e ambientes tecnogênicos e, ainda, identifica no Inferno de Dante o que talvez seja a primeira referência literária a um depósito tecnogênico. Tais conclusões são discutidas em função de suas implicações na teoria da Geologia e da Arqueologia, em particular no que diz respeito à concepção de um novo tempo geológico marcado pela agência humana e do estudo de seus registros.

Texto completo:

PDF


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet