FATORES ASSOCIADOS À MICROCEFALIA RELACIONADA AO ZIKA VÍRUS

Débora de Moura Alves, Agnes Havena Duarte da Silva, Artur Felipe Santana de Oliveira, Jessica Santana de Vasconcelos, Suzana Santos da Costa, Leila Micheliny B. de Paiva

Resumo


Introdução: As microcefalias constituem um achado clínico e pode decorrer de anomalias congênitas ou ter origem após o parto. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a caracterização da microcefalia se dá pela medida em cm, procedimento comum no acompanhamento clínico do recém-nascido (RN) ,visando a identificação de doenças neurológicas , a identificação se dá principalmente pela medição do perímetro cefálico (PC) em que apresente medida menor que menos dois (-2) desvios-padrões abaixo da média especifica para o sexo e idade gestacional, além disso a OMS considera que menos de três (-3) desvios-padrões é definida como microcefalia grave. Objetivo: Descrever os fatores de risco relacionados ao RN com microcefalia associada infecção por Zika vírus. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, realizada no mês agosto de 2016, através de consultas em artigos científicos pesquisados na base de dados SCIELO e em documentos oficiais do Ministério da Saúde. Foram utilizados artigos publicados entre 2015 e 2016, no idioma português, disponíveis na íntegra, sendo utilizadas na busca as palavras-chave Recém-Nascido ; Microcefalia; Zika Vírus. Foram encontrados 05 artigos, sendo realizada uma análise detalhada e posterior discussão, destacando-se os pontos relacionados ao tema proposto. Resultados: Casos prováveis de microcefalia relacionadas a infecção pelo Zika vírus, caso notificado, cuja mãe apresentou exantema durante a gravidez e que o RN apresente alterações sugestivas de infecção congênita. A suspeita precoce, notificação adequada e o registro oportuno dos casos de microcefalia, é fundamental para desencadear ao processo de investigação, considerando o surto Zika vírus, ser um evento até então, incomum, inesperado, que se trata de problema de saúde pública de importância internacional, dado seu potencial impacto em âmbito nacional. Conclusão- Apesar de várias evidências da relação do vírus Zika e os casos de microcefalias no Brasil, mais estudos serão necessários para esclarecimento, desse evento assim como para se identificar os possíveis fatores relacionados à este problema.

Palavras-chave


Recém-Nascido; Microcefalia; Zika Vírus

Texto completo:

PDF


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet