ATIVIDADE DA PRÓPOLIS VERMELHA BRASILEIRA EM MODELO DE BIOFILME MULTIÉSPECIE

Jennifer Toledo Damaceno, Bruno Bueno Silva

Resumo


O biofilme periodontopatogênico é o principal agente etiológico das periodontites. Assim, a busca por novos agentes antimicrobianos naturais é importante, destacando-se a própolis vermelha brasileira devido a sua composição química distinta e atividade antimicrobiana. No entanto, não há relatos na literatura sobre atividade da própolis vermelha sobre biofilme subgengival multiespécie. Objetivo: O objetivo do presente trabalho é avaliar o efeito do extrato bruto da própolis vermelha (EBPV) sobre modelo de biofilme sub-gengival multiespécie. Método: O biofilme subgengival contento 35 espécies relacionadas com a periodontite foi formado por 7 dias, utilizando o dispositivo de Calgary, sendo que a partir do 3 dia, foram realizados dois tratamentos diários por 1 minuto, totalizando 8 tratamentos. Após 7 dias de formação do biofilme, foram avaliadas a atividade metabólica do biofilme por meio de reação colorimétrica e a composição microbiana por meio de hibridização de DNA-DNA. Resultados: Os resultados foram submetidos a análise estatística por meio de ANOVA com dados transformados via BOX-COX seguido do post-hoc de Dunnett. EBPV a 1600 e 800 µg/mL reduziram a atividade metabólica do biofilme em 60 e 50 %, respectivamente e ambas concentrações apresentaram atividade antimicrobiana contra 21 espécies diferentes. Conclusão: EBPV demonstrou ser um promissor agente antimicrobiano que poderá ser útil no controle da doença periodontal. No entanto, novos estudos utilizando modelos in vivo de doença periodontal experimental devem ser realizados para comprovar tal efeito.

Texto completo:

PDF


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet