INFLUÊNCIA DA VISCOSIDADE DE RESINAS COMPOSTAS BULK FILL NA RESISTÊNCIA FLEXURAL E PROBABILIDADE DE SOBREVIVÊNCIA

Italo Del Bue Sousa, Dimovan Bordin

Resumo


Introdução: as resinas bulkfill surgiram com o propósito de permitir a utilização de incrementos de até 5mm de espessura, sendo vantajosas quando comparadas às resinas convencionais que permitem incrementos com espessuras de até no máximo 2 mm. Comercialmente, as resinas estão disponíveis em duas viscosidades: condensável ou fluída. No entanto, é questionável se a alteração da viscosidade das resinas por meio do aumento ou diminuição da quantidade de carga poderia comprometer o desempenho mecânico. Objetivo: avaliar a influência da viscosidade de resinas compostas do tipo bulk fill na resistência flexural e probabilidade de sobrevivência. Método: foram confeccionadas 30 barras de resina bulkfill (25 x 2 x 2 mm) (n=15/grupo) de acordo com a viscosidade da resina: FLU- resina fluída; CON- resina condensável. As amostras foram mantidas em água destilada e estufa (37°C) 24 horas previamente ao teste. Foi conduzido um teste de resistência flexural de três pontos utilizando uma máquina de ensaios universais, onde foi aplicada uma força com deslocamento de 1mm/min até a fratura para obtenção da resistência flexural. Os dados obtidos foram avaliados quanto a igualdade das variâncias através do teste de Levene e a normalidade dos dados através do teste de Shapiro-Wilk. Assumindo a homogeneidade, os dados , foram submetidos ao teste t paramétrico (p<0,05). Em seguida, os valores de resistência flexural foram plotados utilizando o programa ReliaSoft (Weibull ++) para cálculo do módulo de Weibull (m) versus resistência flexural característica (Eta). O ensaio de dureza knoop (HK) foi mensurada utilizando um microdurômetro. Cinco amostras de cada grupo foram indentadas em 5 locais diferentes com distância de 100 µm as identações. Uma carga de 980,7 mN foi aplicada e mantida durante 10 segundos. Os resultados foram avaliados quanto a normalidade pelo teste Shapiro-Wilk o qual não foi confirmada. Em seguida, os dados foram avaliados utilizando o teste Mann-Whitney não paramétrico (p<0,05). Resultados: o grupo CON apresentou resistência flexural estatisticamente superior (108,86 ± 22.57) quando comparado ao grupo FLU 83,04 ±19,03 (p<0,05). Adicionalmente, o grupo COM apresentou módulo de Weibull versus resistência flexural característica estatisticamente superior (m=4,79; Eta= 115,99 MPa) quando comparado ao grupo FLU (m=5,41; Eta= 90,39 MPa). Os dados demonstraram que a probabilidade de sobrevivência diminuiu para grupos quando há aumento da carga, seno que o grupo COM necessita de maior carga para fraturar. Em relação à dureza knoop, o grupo CON apresentou dureza estatisticamente superior quando comparado ao grupo FLU, respectivamente 55,72 HK ±8,27 e 36,52 HK ±2,53. Conclusão: com base nos resultados obtidos conclui-se que a resina bulkfill condensável possui comportamento mecânico superior às resinas bulkfill fluídas.

Palavras-chave


Materiais Dentários; Odontologia; Viscosidade.

Texto completo:

PDF


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet