EDITORIAL

 

Esta edićčo da Revista Saúde aborda temas comuns da sociedade contemporČnea que muitas vezes estčo relacionados entre si e nem sempre atenćčo é dada a eles envolvendo as áreas de Odontologia, Psicologia e Enfermagem. O primeiro artigo aborda um problema que está se tornando cada vez mais frequente que é a erosčo dental. Esse fenômeno pode estar relacionado a fatores de ordem psicológicos, patológicos e a dieta. É demonstrado que o consumo de bebidas com pH ácido, especialmente abaixo de 4,5, pode ser considerado como um fator de risco para o desenvolvimento de lesões de erosčo dental. Sendo que todos os refrigerantes avaliados apresentaram pH abaixo do pH crítico para desmineralizaćčo dental e podem ser consideradas como fator de risco para o desenvolvimento de erosčo dental. Todavia, deve-se considerar que a saliva pode reverter o efeito dos diferentes ácidos das bebidas em funćčo de seu efeito tampčo e pela presenća de proteínas e minerais.

A saliva também é uma grande aliada na protećčo ao esmalte e dentina durante o clareamento dental. Esse tratamento pode alterar a estrutura e morfologia dental, resultando em efeitos adversos caso seja realizado sem orientaćčo. Além disso, o tratamento clareador pode interferir nos processos de adesčo e é apresentada uma revisčo de literatura que descreve as técnicas e agentes neutralizantes disponíveis para encerrar com efetividade um tratamento estético, o qual pode aumentar a autoestima dos pacientes.

Baixa autoestima, solidčo, tristeza, perturbaćčo no sono e pessimismo sčo alguns sintomas observados no artigo: “Avaliaćčo da incidźncia de sintomas depressivos em alunos de 1Ľ a 4Ľ série do ensino fundamental, a partir do inventário de depressčo infantil (CDI)”. Esse trabalho demonstra que é frequente a depressčo em crianćas e adolescentes de escolas públicas e privadas e que fatores educacionais, relacionados diretamente a elementos sócioculturais, interferiram nos resultados da pesquisa e na aplicaćčo literal do CDI. Foi enfatizada a necessidade de um aprimoramento do instrumento em seus procedimentos de aplicaćčo, para que a avaliaćčo da sintomatologia depressiva possa se tornar mais precisa.

A depressčo nos idosos é também abordada nessa edićčo. É identificado como sčo diagnosticados e tratados os idosos com depressčo no Brasil, considerando aspectos físicos, sociais e psicológicos. É demonstrado que o tratamento por uma Terapia Cognitiva Comportamental leva o idoso relatar os acontecimentos tristes da sua vida que desencadearam a crise depressiva, motivando-o e a enfrentar cada situaćčo. Embora essa terapia envolva um processo lento, ela é progressiva, satisfatória e resulta em uma maior qualidade de vida.

Fechando a edićčo é apresentada uma revisčo de literatura integrativa que identifica os instrumentos utilizados para medir qualidade de vida (QV) em pacientes com cČncer de cabeća e pescoćo(CCP) no Brasil, visto que os sintomas dos tratamentos e da doenća podem ser maiores que em outros tipos de tumores em funćčo de características mutilantes e desfigurantes desses tratamentos, bem como as alteraćões funcionais, que estčo associados ą diminuićčo da autoestima, por incapacitar as funćões vitais como: comer, deglutir, falar e inclusive sua sexualidade. Observando que alguns instrumentos específicos foram utilizados em apenas um único estudo, a exemplo do FACT-H&N e SWAL-QOL, sendo que no Brasil os instrumentos mais utilizados para avaliaćčo da QV em CCP foram EORTC QLQ-c30, UW-QOL e EORTC–H&N35.

 

 

Prof. Dr. José Augusto Rodrigues

Profa. Dra. Karine Azevedo Sčo Lečo Ferreira

Editores

 



1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet