DOIS POEMAS DE ANTÔNIO OITIBÓ

Autores

Palavras-chave:

Poesia

Resumo

Sim, é verdade. Os homens escolhem ser metade. Dividem -se ainda garotos por influência. Esquecem rapidamente do tudo que outrora foram, e mergulham no espelho caduco das formas sociais Brincar é a prova de amor entre diferentes, e de tão apertados, enxutos, herméticos, nascem completos. São uma única coisa, massa, sensação, mas depois dividem-se. Percebendo, querem de volta, e estão longe. Viver muito pode causar dependência. Como ser pai se ainda sou filho? Não tenho carne fora da pele tampouco costela sociedade fictícia rejeitado do delírio, nem meu velho tem pena de mim Do Livro dos Delírios Biografia Disse o professor Mayk Oliveira, 35 anos, nascido em Gouveia-AL, pseudônimo de Antônio Oitibó: “Faço o mesmo serviço do Lineu. Me surpreendo e aprendo, como historiador de formação. Me emocionou com sambas, folks, blues e rocks. Arranho um violão. No underground literário, dou umas cacetadas na língua portuguesa, lendo e escrevendo, e quando dá, vejo o Flamengo e o Brasil jogando. Neste percurso, escrevi três livros de poemas, um romance e um livro de contos, desde 2000. Enfim sou aqui um ser na caminhada da evolução do Para Onde.” Ambientalista de espírito. Poeta maldito pela potência da vontade e ainda colaboramos na revista literária “O Pardal”.

Biografia do Autor

Mayk Oliveira, Universidade Federal de Alagoas-UFAL

Submetido pelo prof. Wellington Amancio

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

Oliveira, M. (2018). DOIS POEMAS DE ANTÔNIO OITIBÓ. Revista Educação - UNG-Ser, 13(2), 122. Recuperado de https://revistas.ung.br/educacao/article/view/3458

Edição

Seção

Notas Literárias