COMPLETITUDE DAS VARIÁVEIS DA FICHA DE INVESTIGAÇÃO DA VIGILÂNCIA DO ÓBITO INFANTIL: ANÁLISE PRELIMINAR

Aline Luzia Sampaio Guimarães, Conceição Maria de Oliveira, Cristine Vieira do Bonfim

Resumo


Introdução: as fichas de investigação da vigilância do óbito infantil (VOI) possuem informações necessárias para a identificação das mortes evitáveis e a proposição de medidas de intervenção para reorganização da assistência à saúde materno-infantil. Objetivo: avaliar a completitude das variáveis da ficha de investigação da VOI. Método: estudo descritivo cuja população consiste nos óbitos menores de um ano (excluído as malformações congênitas), de residentes no Recife (PE) investigados pela VOI nos anos de 2011 e 2014. Para cada variável calculou-se a completitude, que foi classificada como: excelente (menos de 5% de preenchimento incompleto); bom (5 a 9,9%); regular (10 a 19,9%); ruim (20 a 50%) e muito ruim (mais de 50%). ruim (mais de 50%) (Romero e Cunha, 2007). Além disso, foram usadas medidas de tendência central (média e mediana), dispersão (desvio padrão) e posicionamento (quartis). O teste do Qui Quadrado (2) de Pearson foi utilizado para verificar a existência de diferenças significativas entre as proporções de preenchimento das variáveis comuns ao banco de dados 2011 e 2014. Foi adotado o nível de significância de 5%. As análises foram realizadas com auxílio do programa R versão 3.2.2 for Windows®. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães - Fiocruz (CAEE nº 07336313.6.0000.5190) e Resultados: Observou-se incremento de 4% nas investigações que passou de 63,2% (2011) para 65,7% (2014). A comparação da completitude entre esses anos apontou melhora no preenchimento das variáveis: raça/cor, realização do pré-natal, n° de consultas, tratamento de complicações do pré-natal, idade gestacional, hipótese diagnóstica, necropsia e todas as variáveis de conclusões, recomendações e medidas de prevenção (p <0,05). Em relação à classificação do preenchimento 15 variáveis foram consideradas como excelentes. Conclusão: os resultados revelam elevada proporção de óbitos investigados e melhora na completitude das variáveis analisadas, quando comparado os dois anos. Dados sobe nascimento obtiveram o melhor preenchimento e a variável de recomendações e medidas de prevenção manteve-se com a menor completitude da ficha. O estudo oferece subsídios para aprimorar o preenchimento da ficha e estimular o seu uso no monitoramento da assistência à saúde materno-infantil.

Texto completo:

PDF


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet