A ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO ACERCA DO CÂNCER DE PÊNIS E OS PROCESSOS SOCIAIS ENVOLVIDOS

Marta aragão ferreira da Silva, Fábio Igor Batista da Silva, Micherline Oliveira de Lima, Raphael Carlos Ferrer de Santana

Resumo


Introdução: O câncer de pênis é uma condição rara e grave que geralmente ocorre em países em desenvolvimento. Manifesta-se por nódulos no corpo do pênis, na glande ou no prepúcio, ocorre alterações de cor no órgão e tumoração na glande, prepúcio ou no corpo peniano. Os principais fatores de risco são: a falta de higiene, produção de esmegma e resíduos de urina na glande. O tratamento do câncer pênis pode ser considerado um tabu em alguns aspectos socioculturais. O resultado disso é uma aproximação lenta e gradual do profissional oncológico que leva a um atendimento tardio, podendo causar metástase ou até mesmo a amputação do órgão genital, que afeta a condição de narciso do homem causando sentimentos de angustia, vergonha e até ideias suicidas. Objetivo: Identificar através da literatura a importância da prevenção, os cuidados essências para evitar o câncer de pênis e a relevância do enfermeiro no processo de sensibilização, prevenção e autocuidado. Método: Trata-se de uma revisão literária sobre a prática do profissional enfermeiro acerca do câncer de pênis e de estudos observacionais, descritivos e retrospectivos sobre o assunto, na base de dados: MEDLINE, SCIELO, LILACS, disponíveis na BVS no período de junho a agosto de 2017, utilizando artigos completos em línguas portuguesa, inglesa e espanhola, publicados nos últimos 5 anos, sendo encontrado 49 artigos sobre o assunto abordado, todavia foram utilizados 10. Resultados e Discussão: De acordo com os artigos analisados, o conceito sociocultural sobre a doença é um dos principais agravantes juntamente com o desconhecimento dos profissionais sobre o câncer. Desse modo, o enfermeiro deve ter um conhecimento diversificado sobre o assunto, tendo em vista que o seu papel é voltado para a orientação, desenvolvimento da autoestima do paciente, e na realização dos exames prescritivos para descobrir os possíveis causadores do câncer de pênis. O paciente penectomizado deve buscar uma nova forma de vida, uma nova perspectiva, pois a cirurgia não leva apenas um órgão, mas, também leva uma construção social sobre o que é o órgão peniano e o que ele significa para o homem. Esse processo baseia-se na mudança de cotidiano e na aceitação da amputação. Por mais que seja difícil viver sem o órgão que é contextualizado como o maior símbolo da masculinidade, o paciente deve ter uma vontade de viver muito maior. Visto que o diálogo é imprescindível para a reconstrução dos seus ideais e a volta completa do indivíduo ao seu meio social. Conclusão: A falta de capacitação e conhecimento do profissional de saúde, acaba atrapalhando o atendimento integral ao cliente acometido por essa patologia, tendo em vista que é imprescindível um diálogo com o cliente para a reestruturação de seus ideais. Deve-se haver mais investimentos na Política de Saúde do Homem, uma vez que esse público é pouco contemplado por ela.

Texto completo:

PDF


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet