A Assistência de Enfermagem a Violência Física Contra o Idoso: uma revisão integrativa

Viviane Pinto Calheiros, Fabiana de Castro Albuquerque de Arruda, Sara Sintia Cibelle da Silva, Veridiana Maria Sales, Gabriela Maria da Silva, Allan José dos Santos Souza

Resumo


Introdução: Atualmente, considera-se a violência domiciliar como um sério problema de saúde pública, onde a violência não tem como fator único o aspecto biológico, levando também o biopsicossocial, desenvolvimento a vida em sociedade, e uma forma que para entendê-la seria necessário apelar para um histórico da família. A violência que se desenvolve no espaço intrafamiliar é bastante delicada, sendo complicada em penetrar no silêncio das famílias dos idosos violentados. A insegurança, o medo de represálias, o conflito de consanguinidade, o afeto, o amor e o instinto de proteção em defesa do agressor são alguns exemplos para as justificativas de omissão dos idosos, quando são violentados por seus familiares e sente-se permanentemente ameaçado, sendo incapaz de se defender para garantir sua segurança. Objetivo: Revisar a literatura quanto a produção cientifica à cerca da violência contra idosos na família e a importância de sua notificação. Método: Tratou-se de uma revisão integrativa na literatura na base dados MEDLINE, SCIELO, BIREME e LILACS no período de junho a setembro de 2017, usando os descritores boleando e (AND) violência, idoso, cuidado e enfermagem, foi utilizado artigos completos em línguas portuguesa, inglesa e espanhola. Assim como artigos publicados nos últimos 5 anos. Resultados e Discussão: Com a busca achou-se 30 artigos, sendo utilizados 25 para o estudo. A violência aos idosos pode acontecer com agressões verbais e físicas e as principais motivações para isso foram uso de álcool, proximidade física, uma dependência financeira do agressor e um relacionamento permeado de violência entre ambos onde os sentimentos entendidos foram tristeza, decepção, raiva, injustiça e revolta. A própria família é responsável por diversos tipos de violência e, onde ao invés de serem resguardados por terem advindo toda sua vida cuidando de filhos e outros familiares, os idosos são vítimas de violências, levando a triste realidade vivida e muito capitalista, onde não existe mais quem fique cuidando daquele que envelheceu. Conclusão: A Enfermagem necessita de uma boa prática nesta atuação, que demanda uma preparação dos diferentes profissionais tanto na atenção primária da saúde como dos profissionais da área social e de direito, para uma identificação, uma prevenção e intervenção nesses casos de maus-tratos e de negligência à uma pessoa idosa. Um diferencial é durante a anamnese com o paciente, precisa-se deixar ele se sentir seguro para relatar o ocorrido e assim poder identificar o agressor. Com isso, fazer a notificação da violência contribuindo para o dimensionamento epidemiológico do problema, permitindo o desenvolvimento de programas e ações específicas para sua redução.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


1) UnG - Universidade Guarulhos 2) Indexador: Latindex 3) Indexador: Dialnet